domingo, 6 de novembro de 2011

. Outros sistemas de escrita: China, Japão, Índia e México

Para lá dos esforços no médio oriente que temos vindo a estudar, mas seus contemporâneos, temos outros sitemas de escrita não alfabética que permaneceram desconhecidos por muito tempo devido ao isolamento das regiões de onde são originais. Falamos da China, do Japão, da Índia e, este muito mais tarde, das regiões que coincidem hoje com o sul do México.


A escrita chinesa surge no século XIV antes de Cristo, em Anyang, província de Henan. Conta com 49.905 símbolos, dos quais 3 mil são de uso habitual. O sentido de leitura, originalmente vertical, é desde o século XX horizontal, da direita para a esquerda ou da esquerda para a direita. O seu funcionamento é ideofonográfico - combina ideogramas, fonogramas e grafemas - e é usado pelas línguas chinesa, japonesa e coreana.



O sistema japonês baseia-se em símbolos silábicos, os kana, geralmente apresentados sob a forma de uma tabela de cinquenta sons, onde figuram as cinco vogais do japonês e suas combinações com sete consoantes. Para cada sílaba vê-se o hiragana em primeiro lugar e só depois o katakana. O hiragana é indispensável para formar os elementos gramaticais e indicar a pronúncia japonesa dos caracteres chineses. O outro, katakana, serve para transcrever as palavras de origem estrangeira. Não se usam espaços entre as palavras, mas o contraste entre caracteres silábicos e chineses funciona para facilitar a leitura. A história da escrita japonesa, de sistema misto, é exemplar, porque mostra como a evolução dos caracteres está ligada à história da sociedade. A evolução desse sistema continua em curso, com a sua adaptação ao uso informático. O sentido de leitura é vertical, da direita para a esquerda, para a literatura e imprensa; e horizontal, da esquerda para a direita, para textos oficiais ou científicos.



Embora não se saiba quando surgiu, o sistema indiano - Brhami silábico - foi descoberto em 250 d.c.. É composto por 39 símbolos principais - vogais e consoantes isoladas - e símbolos para as ligações entre os primeiros. É a base de muitos subsistemas indianos atuais, como o Hindi.



A escrita nahuatl, asteca, surge no século XIII no Vale do México. O número de símbolos ainda não está quantificado. Apenas se sabe que era um sistema não alfabético utilizado por vários povos pré-colombianos e que se lia em todos os sentidos. Desapareceu em 1521, com a chegada dos Espanhois e só começou a ser sistematizada há quatro décadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário